quarta-feira, 20 de julho de 2016

Tarte de Amêndoa...aquela receita tradicional! (em vídeo)

Olá amigos cozinheiros,
Andamos muito gulosos por estes lados. Todos nós precisamos de um pouco de doçura na vida. Tenho reflectido sobre estas questões ultimamente. Andamos todos impacientes. Seja com a chegada das férias ou com o regresso ao trabalho depois delas. Seja com alguma coisa que nos corre menos bem na vida. O porquê não interessa. Mas de vez em quando sinto que o mundo está cada vez mais a preto e branco. Gosto de parar para pensar nestas questões. 

Temos que arranjar formas de contornar o desânimo que sentimos. O meu escape é cozinhar. Disso não tenho dúvidas. Untar formas, bater bolos, decorar e o que por aí advém. No fim, com a loiça por lavar é certo, sinto-me muito melhor. 
A vida nem sempre é colorida mas nós temos que a tentar colorir nem que comecemos por cores clarinhas. E foi num dia que estava mais a preto e branco que colorido que meti mãos à obra para fazer esta tarte de amêndoa. É uma receita tradicional mas é muito simples. O único defeito que lhe ponho é o preço que as amêndoas estão. Mas pondo esse detalhe de parte falemos desta tarte. UAU! Rimei sem querer! ehehe

Esta tarte tem uma base amanteigada e macia apesar da textura densa. O crocante da cobertura de amêndoa faz um contraste perfeito. É deliciosa. E para comemorar isso tudo fiz a receita em vídeo para ficar guardada aqui. Quem sabe quando tiver um filhote ele venha aqui ver como se faz. 
É de salientar que o ideal é fazer esta tarte numa forma de 20 a 22 cm. Espero que gostem e que venham comer uma fatia de tarte comigo. Um beijinho.


Tarte de Amêndoa

O que faz falta:
Base
1 e meia  cháv. (chá) de Farinha de Trigo com Fermento
1/4 cháv. (chá) de Açúcar
1/2 cháv. (chá) de Manteiga Derretida
1 Ovo
Raspa de Meio Limão
1 c. (chá) de Sal Fino
Cobertura:
4 c. (sopa) de Leite
1/4 cháv. (chá) de Açúcar
Meia cháv. (chá) de Manteiga 
2 cháv (chá) de Amêndoas Palitadas


Como Fazemos: 
Pré-aquecemos o forno a 180ºC. Untamos uma forma (20 a 22 cm), forramos o fundo com uma rodela de papel vegetal, Numa tigela, colocamos o açúcar e a farinha. Misturamos. Juntamos os ovos, a manteiga e a raspa de limão. Amassamos. 
Estendemos a massa e aconchegamos na forma. Levamos ao forno por 15 minutos. 
Entretanto fazemos a cobertura. Colocamos todos os ingredientes num tachinho e em lume brando mexemos até obter uma cor dourada clara. 
Retiramos a base do forno, picamos com um garfo. Deitamos por cima a cobertura de amêndoa. Levamos ao forno entre 5 a 12 minutos até estar dourada. 
Retiramos do forno, deixamos arrefecer um pouco, passamos a faca à volta da tarteira. Desenformamos para um prato e depois com a ajuda de outro viramos de forma a ficar com a cobertura de amêndoas para cima. 




quarta-feira, 6 de julho de 2016

Quindins de Amêndoa no Robot e a forma como me seduziram!

Olá amigos cozinheiros,
Um destes dias passei na pastelaria mais gulosa da minha terra e resolvi entrar. Adoro aquela pastelaria. As montras são autênticos desfiles de doces cuidadosamente alinhados cada um mais bonito que outro. É uma pastelaria com muita personalidade e uma decoração muito gira. É um sitio onde se gosta de estar. 

E o que se pode encontrar por lá? De tudo um pouco. Desde bolos à fatia, a folhadinhos estaladiços de vários sabores, a bombons. Tudo tem excelente aspecto e é de fabrico próprio. No Inverno é obrigatório um chocolate quente e no Verão um sumo natural de frutas. 

Normalmente quando lá entro fico muito confusa e indecisa sobre o que escolher mas naquele dia foi diferente. Uns amarelinhos quindins de coco brilhavam do lado de lá do vidro. Como que a chamar por mim. E foi assim que o quindim me seduziu. A sua superfície brilhante e a sua textura peculiar. 

Dias depois veio o Masterchef Júnior e eis que um dos meninos fez um impressionante quindim. Se  anteriormente já tinha ficado com vontade de o reproduzir ainda fiquei com mais. Como a minha mãe não gosta de coco resolvi substitui-lo por amêndoa. Sim, porque uma das minhas "provadoras" oficiais não podia ficar fora de cena. Lá fomos pela fresquinha à praça aqui da terra comprar as amêndoas para mais tarde entrar em acção.

A receita que fiz foi a versão robot de cozinha porque também tenho que lhe dar uso mas é uma receita que é facilmente adaptada à forma tradicional. O que dizer mais sobre estas maravilhas? Só mesmo fazendo e comendo. Vamos lá?

Um beijinho.


Quindins de Coco

O que faz falta para 8:
7 Gemas de Ovo
100 gramas de Açúcar
100 ml de Leite 
80 gramas de Amêndoas picadas

Manteiga para untar as forminhas e açúcar para polvilhar


Como Fazemos:
Pré-aquecemos o forno a 180ºC e colocamos no mesmo um tabuleiro com um pouco de água porque os quindins vão cozinhar em banho-maria. Ao colocarmos a água antes ela vai aquecendo à medida que o forno aquece também.
Untamos as formas com manteiga e polvilhamos com açúcar. Tudo generosamente para no final não termos problemas a desenformar.
No copo do robot de cozinha colocamos o açúcar e as gemas. Ligamos na velocidade 3, a 50ºC por 2 minutos. Adicionamos as amêndoas e misturamos por 20 segundos, igualmente na velocidade 3.
Vertemos o preparado nas formas. Retiramos o tabuleiro com a água do forno com cuidado para não nos queimarmos e colocamos as formas dentro do mesmo. Levamos a cozer por 15 a 20 minutos até os quidins estarem firmes.
Para desenformar, passamos uma faca à volta de cada forma e desenformamos com cuidado. Servimos fresco ou para quem não conseguir resistir morno.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Bolo Tipo Brigadeiro Fácil...uma paixão de família!

Olá amigos cozinheiros,
O Verão começou e veio em força. Confesso que estava à espera dele mas agora que me pôs à prova com uns dias completamente abrasadores já começo a pensar se sou realmente uma pessoa de Verão.

Gosto muito do que esta estação representa. Esplanadas, noites de conversa ao ar livre, refeições do lado de fora, roupas leves, caminhadas ao fim do dia e por aí fora. O Verão faz-nos ser mais sociais. A verdade é essa. Temos mais vontade de sair. 
Mas no meu ponto de vista culinário também me faz cozinhar menos. Seja porque está muito calor para ligar o forno que vai aquecer a casa, seja porque os dias são maiores e esticamos mais outras tarefas até ao anoitecer ou seja porque não nos apetecem aquelas comidas de panela reconfortantes que comemos nas outras estações. 

Por outro lado e contradizendo um pouco o que disse anteriormente tenho mais vontade de fazer bolos mais elaborados. Que levam cobertura e recheio. Tudo a que temos direito. Destes que se comem bem com um copo de leite fresquinho ou com um chá gelado. Acompanhados de uma conversa ao lanche. 

O bolo brigadeiro é a paixoneta da minha família. Por aqui não ligamos muito aos aniversários mas bolo brigadeiro tem sempre que haver. É aquela desculpa perfeita para comermos uma grande fatia sem culpas. Porque afinal é dia de festa. Mas como agora aniversários só para Setembro e já estávamos com saudades porque não improvisar uma receita bem fácil mas que nos mate o vício?

Esta receita é bem fácil. O bolo é misturar tudo e já está. A cobertura é paciência a mexer e a ventoinha a refrescar-nos, Para os menos gulosos sirvam-se de uma fatia mais pequena e os gulosos como eu cortem uma fatia que vale por duas. Porque não é todos os dias que comemos um bolo tão "chocolatudo".

Um beijinho grande. Bem-Vindos ao Verão e Bons Cozinhados. Beijinhos.



Bolo Tipo Brigadeiro Fácil

O que nos faz falta:
Bolo
(capacidade da chávena=240ml)
3 Ovos
1 chávena (chá) de Óleo
1 chávena (chá) de Leite
1 chávena (chá) de Açúcar
2 chávenas (chá) de Farinha de Trigo
1 chávena (chá) de Chocolate em pó
1 colher (sopa) de Fermento em pó
Cobertura e Recheio
1 Lata de Leite Condensado
1 colher (sopa) de Manteiga
1/4 chávena (chá) de Chocolate em Pó
Calda
1/2 chávena (chá) de Leite
1 colher (sopa) de Chocolate em Pó


Como Fazemos:
Começamos por fazer o bolo. Batemos os ovos, com o óleo e o leite. Misturamos todos os ingredientes secos. 
Incorporamos os ingredientes secos na mistura liquida. Batemos bem até formar uma massa cremosa.
Pré-aquecemos o forno a 180ºC. Untamos com manteiga e polvilhamos uma forma (usei de 20 cm) com chocolate em pó. Para que o bolo fique mais liso na superfície a cobrir colocamos uma rodela de papel vegetal no fundo da forma e voltamos a untar e a polvilhar.
Colocamos a massa do bolo na forma e deixamos que coza por 40 a 45 minutos. Quando estiver pronto, desenformamos e deixamos arrefecer um pouco. Fazemos a calda, misturando o leite com o chocolate e regamos o bolo. Se o quisermos rechear, cortamos o mesmo ao meio e regamos cada parte. Se quisermos apenas cobrir regamos inteiro picando antes com um garfo para a calda ser absorvida com mais facilidade.
Para o recheio, levamos ao lume todos os ingredientes e vamos mexendo por cerca de 10 minutos até obtermos um creme espesso que faça ponto estrada no fundo do tacho. Esse creme deve ter uma consistência que  não escorra facilmente e que agarre facilmente ao bolo. 
Para montar o bolo é só rechear e cobrir a gosto e no fim decorar com chocolate granulado.  Servir morno ou frio. 




segunda-feira, 13 de junho de 2016

Low Carb Pancakes...com apenas 3 ingredientes!

Olá amigos cozinheiros,
Depois de uns hambúrgueres de alheira e uma série de bolos tenho que recuar e fazer umas coisas mais equilibradas. Não sou uma pessoa magra mas já fui. Em adolescente cheguei a pesar 45kg e não gostava nada. Acreditem que estou a ser sincera. O peso com o qual mais me sinto confortável é entre os 60 e os 62 kg. O meu objectivo nunca foi voltar a ser magra e acredito que o importante é estarmos bem connosco próprios. E não são "balelas". Acredito e defendo mesmo isso!

Nas últimas semanas abusámos um bocado mais. Foram os aniversários, a chegada do bom tempo, os petiscos ao final da noite e os geladinhos. Claro que tudo isso se reflectiu na balança. Mas nada de preocupante pelo menos para mim. Aliado a isso, a falta de tempo e motivação para fazer exercício.

Neste cenário, resolvi ter mais cuidado com a boca, nada de extremo porque nunca fui assim. No meu caso, basta cortar nos hidratos de carbono que já noto diferenças. 
Cada vez mais tenho tentado tirar um tempo para tomar um pequeno almoço mais tranquilo. Faz muita diferença no meu dia. 

Estas panquecas são uma excelente forma de começar o dia. Podem ser feitas na hora ou na véspera e pela manhã basta aquecer. São low carb e não levam farinha. Aliás nota-se um pouco na textura mas não deixam de ser fofas por isso. São aquele género de panquecas altas. Gosto de as comer com mel, com fruta ou com compota sem açúcar. 

Despeço-me por hoje. Um beijinho e os bolinhos estão para breve. O que interessa é termos equilíbrio. 


Low Carb Pancakes

O que faz falta para 2:
Massa das Panquecas
55 gramas de Queijo Creme (usei philadelphia light)
2 Ovos
1 colher de sopa de Canela em pó
Cobertura (opcional ou a gosto)
1 colher de sopa de Mel 
Amêndoas Laminadas Torradas

Como Fazemos:
Num copo alto, colocamos os ovos, o queijo creme e a canela. Trituramos até os ingredientes estarem bem misturados.
Numa frigideira anti-aderente ou pincelada com óleo colocamos a massa da panqueca. Deixamos cozinhar em lume brando. Viramos. Retiramos quando estiverem douradas de ambos os lados. 
Servimos quentes com mel e amêndoas ou a gosto.


sexta-feira, 10 de junho de 2016

Hambúrguer de Alheira com Espinafres...e mais um vídeo!

Olá amigos cozinheiros,
Como estão? Hoje é feriado, dia de Portugal e como tal a receita é feita com um ingrediente bem Português. A Alheira! Não é coisa que conheça há muitos anos, é recente mas foi amor à primeira garfada. É dos enchidos que mais gosto. Eu gosto muito de enchidos apesar de ter consciência e não os comer a toda a hora (mas com pena).

Fiz estes hambúrgueres de Alheira que não são saudáveis obviamente mas que me fazem lembrar muito jantares e almoços com amigos. Isto porque é coisa que eu faço como petisco quando faço um jantar mais composto. Em vez de hambúrgueres faço em bolinhas e resulta muito bem.
Os espinafres dão um toque muito bom porque cortam um pouco o sabor muito marcado da alheira. E claro fica bonito. O verde fica sempre bonito em qualquer lado. ehehe

Se querem saber a verdade estou a escrever-vos isto no dia dos amigos (dia 8). E há amigos que merecem uns hambúrgueres destes. Pessoalmente gosto de muita gente que me rodeia mas o estatuto de amigo não é qualquer um que tem. Não me chamem esquisita ou "bicho do mato". 
Temos que saber estimar os bons amigos, aqueles que nunca nos falham e que estão connosco em todos os momentos. Que tanto nos acompanham a rir ou a chorar. Que nos procuram quando desaparecemos e que nos tiram de casa mesmo quando não queremos.
Vamos dedicar tempo aos nossos amigos e vamos partilhar com eles um hambúrguer destes. Boa?

Bom Feriado para todos e toca a carregar no play do vídeo. Um beijinho.


Hambúrguer de Alheira com Espinafres (para 6):

O que faz falta: 
2 Alheiras
1/2 chávena (chá) de Espinafres cozidos e escorridos
Pão Ralado
1 Ovo Batido
1 fio generoso de Azeite


Como Fazemos: 
Tiramos a pele às alheiras e colocamos num recipiente. Juntamos os espinafres e misturamos com as mãos. Formamos 6 hambúrgueres e passamos os mesmos por ovo batido e por pão ralado. Colocamos o azeite numa frigideira e fritamos os hambúrgueres de ambos os lados até dourar. Escorremos em papel absorvente e servimos quentes. 



quarta-feira, 8 de junho de 2016

# A Descobrir Portugal: Plantação de Ananases em S. Miguel nos Açores!

Olá amigos cozinheiros,
Como alguns já sabem, em Março tirámos uns diazinhos para visitar São Miguel nos Açores. Foi uma viagem mágica. Gostámos de tudo e não há nada de menos bom a apontar desta viagem. Fomos bem recebidos, ficámos bem alojados e comemos muito bemmm. 

Numa primeira publicação, mostrei-vos o que comemos por lá (para ver clicar aqui). Só de a rever já fico com fome. Além de voltarmos com a barriguinha bem aconchegada (e mais gordinha) voltámos também com muitas memórias e histórias para contar. E acho que essas histórias merecem ser partilhadas. Porque São Miguel merece. Por ser tão fantástico e envolvente. 


Uma das coisas mais fixes que visitámos foram as plantação de ananases. Vocês acreditam que a entrada é gratuita? E vale muito a pena! Fica na zona da Fajã de Baixo (podem consultar no mapa aqui). É de estacionamento fácil, tem uma loja à entrada com recordações e artesanato. 


A visita é livre, podemos ficar o tempo que quisermos dentro do horário estipulado. Não é um sitio muito grande por isso vê-se rapidamente. Existem várias estufas abertas onde podemos encontrar várias fases do crescimento do ananás. No nosso caso, visitámos o mercado de Ponta Delgada e a plantação numa manhã. Tudo muito calmamente. Nós gostamos de parar para apreciar. 


Achei curiosa a forma como os ananases crescem. Vão nascendo subtilmente do interior da planta. É um processo muito bonito. 
Claro que tivemos que trazer connosco alguns exemplares desta bela fruta. Foi complicado visto que só levámos bagagem de mão mas conseguimos. No aeroporto não implicaram com nada e foram super amáveis. Não sei se tivemos sorte ou se é sempre assim. 

Toda a gente foi super atenciosa e simpática. Aqui não foi excepção. A senhora da loja de recordações ajudou-nos a encontrar um sitio bom para provar as iguarias da zona. Já tenho saudades. A forma como todos nos trataram e nos ajudaram foi especial. Tudo é feito com um sorriso no rosto e as pessoas dispõem do seu tempo para ajudar quem quer que seja. 
Por hoje é tudo mas ainda temos mais para mostrar. Aliás a ilha de São Miguel é tão rica que um livro não chegava para a descrever .
Um beijinho e até breve. 




segunda-feira, 6 de junho de 2016

Bolo "Nega Maluca"...um clássico em vídeo!

Olá amigos cozinheiros,
Hoje venho partilhar convosco um bolo clássico cá em casa. Este bolo é daqueles bolos que já sei a receita de cor e que faço tantas mas tantas vezes. É o típico bolo de chocolate fofinho e um pouco húmido com uma calda que faz lamber dos dedos.

Eu não escondo de ninguém que chocolate é a minha paixão mas este bolo vale mesmo a pena. É fácil, económico e quem o provou gostou muito dele. Por ser um bolo especial, um bolo que já é daquelas receitas que fazemos e repetimos para a família, resolvi fazer um vídeo para verem como eu vos digo a verdade.  É importante dizer que esta já é uma receita ligeiramente adaptada aos gostos cá de casa.

Muitos de vocês já o devem conhecer porque é um bolo muito famoso na internet. Não me alongo mais afinal hoje é segunda-feira e as palavras já faltam. Espero que gostem e que façam. Se fizerem mandem uma fatia. Um beijinho grande. 


Bolo Nega Maluca

O que faz falta:
Bolo
3 Ovos
1 e 1/2 chávenas (chá) de Açúcar (prefiro usar mascavado)
2 chávenas (chá) de Farinha com Fermento
1 chávena (chá) de Óleo
1 chávena (chá) de Chocolate em Pó
1 pitada de Sal Fino
1 chávena (chá) de Água a Ferver
Calda
3 colheres (sopa) de Manteiga
3 colheres (sopa) de Leite
1/3 chávena (chá) de Açúcar
1/2 chávena (chá) de Chocolate em Pó


Como fazemos:
Para o bolo, misturamos todos os ingredientes indicados com a excepção da água. Quando a massa estiver bem batida, envolvemos a água a ferver delicadamente. Levamos ao forno, a 180ºC, numa forma de buraco, untada e enfarinhada por 35 minutos. Depois de cozido desenformamos.
Para a calda, levamos ao lume todos os ingredientes e mexemos até obtermos uma calda uniforme. Regamos o bolo com esta calda.


sexta-feira, 3 de junho de 2016

Bolo de Iogurte e Limão...para quem vive sozinho e não só!

Olá amigos cozinheiros,
Aqui há dias um amigo meu pediu-me uma receita de bolo para uma pessoa que vive sozinha. Segundo ele, os bolos ditos "normais" são muito grandes para quem não tem com quem partilhar. Depois os bolos vão ficando ali e vão secando até parecerem uma esponja de lavar a loiça por usar. 

Mas lá por se viver sozinho não quiser dizer que não se goste de comer aquele bolinho acabado de fazer. De o deliciar ao pequeno-almoço e de o embrulhar para levar. Para quem gosta de cozinhar esta ideia ainda faz mais sentido.

Se também vives sozinho e querias ter um bolinho morninho para degustar esta receita é para ti. Mas se vives acompanhado este bolo também pode ser para ti. heheh
Dá sempre jeito um bolo mais pequeno. As fatias são mais pequenas. Satisfazemos a barriguinha mas comemos menos. E para quem gosta muito de fazer bolos, se fizerem mais pequenos podem fazer mais vezes porque acabam mais depressa.


Vamos deixar as brincadeiras de lado e focar-nos no bolo. É um bolo com aroma de limão e é bastante tradicional. Faz-nos lembrar os bolos das avós. Fofinhos e óptimos para o lanche. Daqueles bolos que comemos com a mãos e que no fim lambemos os dedos. A calda enriquece o bolo e é essencial para o fazer brilhar ainda mais.

É de notar que usei uma forma de 20 cm para fazer este bolo mais pequenino. 
Bora fazer? Um beijinho e até breve.


Bolo de Iogurte e Limão

O que faz falta:
Massa
1 Iogurte Natural ou Grego
1 chávena (chá) de Açúcar
3 Ovos
1 chávena (chá) de meia de Farinha de Trigo
2 colheres (chá) de Fermento em Pó
1 pitada de Sal fino
Raspa de 1 Limão médio
Meia chávena (chá) de Óleo
Calda
1/3 de chávena (chá) de Sumo de Limão fresco
1/2 chávena (chá) + 2 colheres (sopa) de Açúcar em Pó

Como Fazemos:
Pré-aquecemos o forno a 180ºC. Untamos e enfarinhamos uma forma sem chaminé de 20 cm. Reservamos.
Num recipiente, misturamos o iogurte, o açúcar e os ovos. Adicionamos a farinha, o fermento, o sal e a raspa de limão. Mexemos. Adicionamos o óleo e batemos um pouco. 
Vertemos a massa para a forma. Levamos ao forno por 30 a 35 minutos. Desenformamos e deixamos arrefecer uns minutos. 
Fazemos a calda. Com uma vara de arames misturamos bem o sumo de limão e o açúcar. Depois é só pincelarmos todo o bolo com esta calda.
Deixamos arrefecer um pouco e servimos.