quinta-feira, 23 de março de 2017

A saga do Doce de Ovos Caseiro...(vídeo)!

Doce de Ovos. Aquela coisa cremosa e amarelinha com um sabor inigualável. Diz-se por aí que foram as freiras que o inventaram mas eu só sei que foi uma verdadeira aventura aprender a fazê-lo. Não que seja dificil. Porque não é. Assim que se percebe o ponto da calda e o ponto em que deve ficar é canja. Até chegar aí fiz muitos testes que se comeram todos. Num bolo, em molotof, outra vez num bolo, à colher... 
Muitos testes ocorreram para chegar à consistência perfeita de doce de ovos. Todos ficaram incrivelmente gulosos mas queria chegar aquela cremosidade máxima. 

Porque não comprar doce de ovos feito? É bem mais fácil. Tudo começou com o bolo de noz húmido (receita aqui) que casava maravilhosamente com uma camadinha de doce de ovos. Visto que não me apetecia ir à rua e tinha muitos ovos resolvi partir à aventura. Deu certo mas podia ter deixado mais tempo ao lume para engrossar mais. E fiquei a matutar naquilo. Então voltei a fazer. E apliquei no meu primeiro molotof (essa história fica para depois). O dia do pai aproximou-se e eu ia repetir o bolo de noz porque o meu pai adorou. Foi nessa ocasião que a magia aconteceu. O doce ficou na consistência perfeita para mim. Claro que fiquei vaidosa, não posso mentir. Eu antes até tinha medo de fazer caramelo e agora estou a fazer doce de ovos. 

Depois das minhas experiência eu concluí que o segredo está na calda de açúcar mas ainda mais no tempo que deixamos o doce ao lume e na forma enérgica que o mexemos. Será que estou a dizer uma parvoíce? Isto é apenas a minha análise.
O doce de ovos é muito sensível, é importante acondicioná-lo bem e refrigerá-lo. 
Eu só sei que estou muito contente e não podia deixar de partilhar a minha experiência aqui. Todos nós sabemos que este doce é muito versátil e que pode ser aplicado em tudo e mais alguma coisa.

Um beijinho. Até breve e bons cozinhados.
Doce de Ovos

O que faz falta:

6 gemas
125 gramas de Açúcar
100 ml de Água

Como fazemos:

Começamos por medir e separar todos os ingredientes. De seguida, batemos as gemas e peneiramos as mesmas. Reservamos.
Levamos a lume brando a água e o açúcar. Não mexemos. Assim que ferva contamos entre 4 a 5 minutos ou até obtermos o ponto pérola (ver vídeo). Retiramos do lume e deixamos arrefecer um pouco. Quando a calda estiver morna misturamos a mesma nas gemas mexendo sempre. Levamos essa mistura novamente a lume brando e mexemos sempre até engrossar. Quando o creme começar a engrossar mexemos energicamente com uma vara de arames até que a mesma comece a pegar no fundo. Devemos ter cuidado para que não cozinhe demasiado. Desligamos o lume e continuamos a mexer. Transferimos para um recipiente frio. Tapamos com uma película aderente de forma a tocar na superfície do creme para este não criar capa. Levamos ao frio por 3 horas.  Depois de frio o creme fica mais firme e cremoso. Usamos a gosto.

terça-feira, 21 de março de 2017

Salsichas em Couve Lombarda...não há nome mais bonito para isto? (tradicional e robot)

Como se deve notar eu gosto muito de cozinhar. 😊Gosto de planear as refeições, comprar os ingredientes e fazer a receita. Gosto de o fazer com tempo e atenção, o que nos dias de hoje se torna complicado. Só que no meio dessa magia toda também existem dias em que não tenho imaginação nenhuma e não me apetece meter os pés na cozinha. Porque somos todos humanos. 😅 Nos dias mais difíceis vou à churrascaria aqui da terra, que é óptima e compro um belo frango assado no carvão. Nos dias assim assim meto o robot a trabalhar. 

Adoro fazer coisas novas mas também gosto muito de cozinhar comida tradicional. Por aqui somos muito fãs. Basta dizerem feijoada, cozido à portuguesa e por aí a fora, que eu já estou completamente convencida. Claro que se disserem sushi, comida italiana, fondue eu também não hesito. 😎

Tudo isto para dizer que esta comidinha de nome pouco glamoroso é prato que apreciamos muito. Não é aquele prato que aprendi com a minha mãe há imenso tempo. Não, não é. Os meus pais não são apreciadores de salsichas. Aliás a minha mãe tem um nome característico para tudo o que ela não consiga ver bem do que é feito. E esse nome é comida misteriosa. 😀
No entanto, quando me mudei comecei a fazer porque o Sarinho gosta muito. E eu passei também a gostar. É aquela coisa reconfortante sabem? Que aquece a alma e deixa a casa a cheirar a couves. 😆 Sabe tão bem!!!! 

Sempre fiz da forma tradicional mas desde que tenho o robot que o uso neste prato. Não faço a versão que vem no livro base do robot, já a experimentei e esta "enche-me mais as medidas." A salsicha e a couve cozem no vapor do molho de tomate o que eu acho que é super fixe e que fica super saboroso. A couve fica no ponto de cozedura certo e não perde a textura e a "salsicha misteriosa" cozinha no vapor o que é muitooo mais saudável. Óbvio que da forma tradicional também fica muito bom. Assim só dá um bocadinho menos de trabalho. 
No meu caso, gosto de um molho mais encorpado mas como se costuma dizer "amigo não empata amigo", basta adicionar água para chegar à consitência desejada. 😏
Fiz o melhor que pude para fotografar isto. Não é um prato fácil de ficar belo. Mas estava muito bom. Prometo!

Vamos lá atacar isto, antes que arrefeça. Um beijinho. Bons cozinhados e até breve. 😙
Salsichas em Couve Lombarda 

O que faz falta para 3:
10 Salsichas frescas de Aves
1 Couve Lombarda
1 Cebola 
2 dentes de Alho
1 Cenoura
1 fio de Azeite
1 folha de Louro
200 gr. de Tomate pelado
Sal e Pimenta branca
1 ramo de Salsa fresca
350 ml de Água (uso a de escaldar a couve)
Como Fazemos:
Robot (yämmi 1)
Num tacho largo, levamos água a ferver. Separamos a couve lombarda em folhas. Lavamos e aparamos um pouco do talo de cada folha. Escaldamos as folhas na água fervente por 5 minutos. Retiramos com cuidado. Enrolamos nove salsichas nas folhas de couve e prendemos as mesmas com um palito. Reservamos.
No copo do robot, colocamos a cebola, a cenoura e os alhos. Trituramos 10 segundos na velocidade 5. Juntamos o azeite e refogamos por 5 minutos na temperatura máxima. Adicionamos o tomate e trituramos por 30 segundos na velocidade 6. Juntamos a salsicha que sobrou sem pele e aos pedaços, a folha de louro, temperamos com sal e pimenta. Vertemos a água. Perfumamos com um pouco de salsa picada. Dispomos as salsichas no recipiente de cozer a vapor e montamos sobre o copo do robot. Ligamos na temperatura máxima, velocidade 2 por 40 minutos
Findo o tempo, retiramos as salsichas do recipiente de vapor e dispomos num prato. Retiramos também a folha de louro do copo, colocamos a tampa e trituramos o molho por 15 segundos na velocidade 7. Se acharmos necessário, adicionamos um pouco mais de água ao molho. Regamos as salsichas com o molho e perfumamos com mais um pouco de salsa picada. Servimos quente com arroz ou a gosto.
Tradicional
Num tacho largo, levamos água a ferver. Separamos a couve lombarda em folhas. Lavamos e aparamos um pouco do talo de cada folha. Escaldamos as folhas na água fervente por 5 minutos. Retiramos com cuidado. Enrolamos nove salsichas nas folhas de couve e prendemos as mesmas com um palito. Reservamos.
Picamos a cebola, os alhos e ralamos a cenoura. Refogamos os mesmos num tacho largo com azeite. Colocamos depois o tomate pelado triturado e deixamos cozinhar mais um pouco.
Juntamos a salsicha que sobrou sem pele e aos pedaços, a folha de louro, temperamos com sal e pimenta. Vertemos a água. Perfumamos com um pouco de salsa picada. Mexemos. Dispomos as salsichas no tacho, deixamos cozinhar lentamente até o molho apurar e as salsichas com as couves estarem tenras. 
Findo o tempo, retiramos as salsichas do tacho e dispomos num prato. descartamos a folha de louro e trituramos o molhoSe acharmos necessário, adicionamos um pouco mais de água ao molho. Regamos as salsichas com o molho e perfumamos com mais um pouco de salsa picada. Servimos quente com arroz ou a gosto.


sexta-feira, 17 de março de 2017

Tarte Pastel de Nata sem complicações...em vídeo!

Esta é uma daquelas receitas que já faço quase de olhos fechados. Porquê? É uma receita na minha família há imensos anos. Claro, que me foi dada pela minha mãe. Que por sua vez já a tem há muito tempo também. Digamos que tem uns 20 anos? Assim por alto. 
Lembro-me de uma vez eu e a minha mãe fazermos esta receita mas na versão pastéis. Eu era miúda e nós costumávamos fazer serões a cozinhar com frequência. Então o que aconteceu? Gulosas, enchemos muito as formas com creme e elas começaram a verter quando coziam. Era creme por todo o lado. No fim, comemos os pastéis na mesma. Óbvio! 😅

Cá em casa sempre adoramos pastéis de nata. É o bolo preferido de todos, arrisco a dizer. Por isso, faz todo o sentido esta ser uma receita de família. Presente em muitos convívios e festas. Já tenho esta receita aqui no blog na versão robot de cozinha mas como é uma receita tão querida resolvi actualizá-la com um vídeo para deixar para as futuras gerações. 😊
Eu sei que digo sempre isto mas é muito fácil de fazer e com ingredientes que quase sempre temos em casa. O único truque que tem é na forma de cozer. Mas isso explico mais adiante e no vídeo. 
Fui alterando a receita com o passar do tempo porque não sei se se lembram mas as receitas mais antigas levavam "carradas" de açúcar e eu adaptei ao nosso gosto. Continua doce, não fosse eu uma gulosa assumida.

Espero que gostem. Desejo-vos um feliz fim-de-semana. Um beijinho. Até breve e bons cozinhados. 😙
Tarte Pastel de Nata

O que faz falta:
1 Base de Massa Folhada para tartes
250 gr. de Açúcar
70 gr. de Farinha
600 ml de Leite
2 paus de Canela
2 Cascas de Limão
6 Gemas

Como fazemos: 
Separamos as gemas das claras. Reservamos as claras para outra coisa e batemos as gemas até estarem bem misturadas.
De seguida, num recipiente à parte juntamos o açúcar e a farinha. Mexemos. Adicionamos o leite, envolvemos até dissolver bem todo o açúcar e a farinha. Juntamos o pau de canela e a casca de limão. Levamos ao lume brando mexendo sempre até engrossar. Deixamos arrefecer um pouco. Retiramos o pau de canela e a casca de limão. Adicionamos as gemas batidas mexendo energicamente para não cozerem (ver vídeo). 
Aconchegamos a base de massa folhada na tarteira e colocamos sobre ela o creme. Levamos ao forno pré-aquecido nos 180ºC durante 25 minutos apenas na resistência de baixo e mais 35 minutos nas duas resistências ou até estar cozida e tostada. (caso o forno que estamos a usar não dê controlo no uso das resistências deixamos até que esteja dourada e tostada). Atenção não fazer confusão com os níveis de prateleira do forno. Aqui falo-vos das resistências como funções de cozimento do forno. 
Deixamos arrefecer um pouco e desenformamos com cuidado. Servimos morninha com canela. 


terça-feira, 14 de março de 2017

Cookies de Cenoura e Especiarias Saudáveis...

Olá, 😊
A semana que passou foi algo complicada. Por isso, os post's ficaram um pouco para trás. Acontece de vez em quando mas já cá estamos de volta. 
Não sei quanto a vocês mas eu até me porto bem durante a semana. Tento fazer uma alimentação mais saudável. O meu "grande problema" são os fins-de-semana em que temos sempre um convívio ou nos apetece uma ceia mais pecaminosa. Quem diz ceia diz também pequeno-almoço. Faz parte da nossa índole. Na verdade, não me chateio muito com isso, a vida é para ser vivida porque é muito curta, temos que manter o equilíbrio como digo sempre mas não devemos abdicar do que nos dá prazer. 😉
A segunda-feira é sempre aquele dia em que me tento concentrar mais na alimentação para fazer um "pequeno detox" do fim-de-semana. Nos dias seguintes a gulosice já aperta e como a vida não é só feita de bolos de chocolate e nutella temos que arranjar estratégias mais saudáveis de satisfazer a dita cuja. É nessa altura que entram bolinhos ou cookies como estes. Que são mais saudáveis mas são igualmente deliciosos. 
Sempre gostamos muito de doces com cenoura. Estes cookies não foram excepção. São perfeitos para acompanhar um cházinho ou um leite dourado que agora está na moda. Enriquecidos pelas especiarias e húmidos no interior. São simples de fazer, sem grandes truques. Espero que gostem. Um beijinho e bons cozinhados. 💕
Cookies de Cenoura e Especiarias Saudáveis
Receita adaptada de: Baking Ginger

O que faz falta para 12: 
{medida: cup ou chávena de 240ml}

1 e 1/4 cup de Flocos de Aveia finos integrais
1/2 cup de Farinha de Coco
2 colheres {sopa} rasas de Fermento em pó
2 colheres {sopa} de Canela em pó
1 colher {café} rasa de Noz Moscada
1 colher {café} rasa de Gengibre em pó
1 colher {café} rasa de Erva-Doce
1 pitada de Sal fino
1/2 cup de Óleo de coco derretido
2 Ovos
1 colher {chá} de Essência de Baunilha
1/2 cup de Mel
1 cup de Cenouras raladas
Como Fazemos:
Forramos um tabuleiro com papel vegetal. Num recipiente, misturamos a aveia, a farinha de coco, o fermento, o sal e as especiarias. À parte, batemos os ovos, com o óleo de coco, a baunilha e o mel. Juntamos os ingredientes secos aos húmidos e batemos bem até estar misturado. Incorporamos as cenouras raladas na massa. Deixamos a massa descansar no frigorífico por 30 minutos. Pré-aquecemos o forno a 180ºC. Com as mãos húmidas formamos bolinhas e dispomos no tabuleiro separadas entre si. Espalmamos ligeiramente. Levamos ao forno durante 15 minutos. Retiramos do forno e deixamos arrefecer no tabuleiro. Guardamos num recipiente fechado. 

segunda-feira, 6 de março de 2017

Carne de Porco à Portuguesa...aquela receita de sempre!

Olá, 😊
Até quem gosta muito de cozinhar e de experimentar coisas novas passa por fases de menos criatividade. Quando isso acontece valem-nos aqueles pratos simples e que já sabemos de cor. Que são saborosos e reconfortantes mas que às vezes ficam um pouco para trás para dar lugar a outros.

A carne de porco à portuguesa é daqueles pratos que sai sempre bem e que satisfaz a barriguinha até dos mais esquisitos. É económico, rende e é simples de fazer. O que se pode pedir mais?

Esta semana vai ser em passo de corrida por aqui. E por esses lados? Espero que tenham uma boa semana. Beijinhos e Até breve!
Carne de Porco à Portuguesa

O que faz falta para 3:
700 gr. de Rojões de Porco 
4 Batatas grandes aos cubos 
3 colheres (sopa) de Vinha de Alhos ou Massa de Pimentão
2 dentes de Alho
1 folha de Louro
Sumo de Meio Limão
100 ml de Vinho Branco
Sal e Pimenta q.b.
1 fio de Azeite
1 chávena (chá) de Pickles picados
Salsa fresca picada
Óleo para fritar as batatas
Como Fazemos:
Limpamos os rojões de algumas gorduras. De véspera ou com algumas horas de antecedência temperamos a carne com a vinha de alhos ou massa de pimentão, os alhos laminados, a folha de louro, o sumo de limão, o vinho branco, um pouco de sal e pimenta.
Passado o tempo, escorremos a carne e reservamos a marinada. Aquecemos um fio de azeite numa frigideira. Colocamos a carne e deixamos cozinhar até que a carne esteja douradinha. Entretanto fritamos as batatas e escorremos em papel absorvente. Reservamos as mesmas. Regamos com a marinada, metade dos pickles e da salsa. Deixamos cozinhar mais um pouco. Num prato de servir misturamos a carne com as batatas fritas, decoramos com os restantes pickles e a restante salsa. Servimos quente. 


sexta-feira, 3 de março de 2017

Muffins com Nutella e Noz...no Robot ou não!

Olá, 😊
Nutella. Aquela coisa que tem o poder de transformar algo bom em algo ainda melhor. É daquelas coisas que tenho quase sempre em casa (sempre mesmo. sou uma sem vergonha). Gosto de exibir um pequeno frasquinho na prateleira mais alta da cozinha como forma de me lembrar que a vida é bela com o quê? Nutella! Ora aí está um slogan maravilhosamente previsível mas tão verdadeiro. 👌 Bem sei das últimas polémicas acerca desta marca mas acredito com todas as forças que foi o Tulicreme que tramou a Nutella. 😂
Pronto, já todos sabemos que faz mal porque tem coisas em quantidades duvidosas. Mas é bom e de vez em quando é permitido cometer loucuras. Caso contrário que graça tinha a vida que é para ser bela? 

Divagações à parte. O fim-de-semana está a chegar. Pelo que parece vai ser chuvoso por isso convida a bolos e mantas. Decidi dar uso ao meu Robot e fazer nele uns bolinhos para o fim-de-semana. Tinham que ser de chocolate mas tinham que ter algo diferente porque gosto de impressionar o rapaz. Conquistá-lo pelo estômago como se costuma dizer. 
Não é que estes pequenos e chocolatudos muffins tenham algo de super diferente mas o toque da Nutella com as nozes faz toda a diferença. A Nutella cria uma crosta à superfície que nos surpreende na altura da dentada. 
E com esta me vou porque acho que já escrevi demasiadas vezes Nutella num só post. Um beijinho. Até breve e bons cozinhados. 😘

P.S. Podem perfeitamente ser feitos sem nozes mas nuncaaaa sem Nutella (estava a brincar).
Muffins com Nutella e Noz

O que faz falta para 9:
125 gr. de Açúcar (usei mascavado)
75 gr. de Manteiga amolecida
2 Ovos
60 ml de Leite
30 gr. de Cacau em pó
180 gr. de Farinha
1 colher (chá) de Fermento em pó
1 pitada de Sal
5 colheres (sopa) rasas de Nutella
9 metades de Noz
Caixinha de Papel frisado para muffins
Como Fazemos:
Robot
Começamos por pré-aquecer o forno a 180ºC e forramos formas de muffins com as caixinhas de papel frisado.
Montamos o misturador no copo e batemos o açúcar com a manteiga na velocidade 3 por 1 minuto. Com a ajuda de uma espátula raspamos para baixo a mistura que ficou agarrada à parede do copo. 
Juntamos os ovos batidos e o leite. E ligamos na velocidade 4 por 30 segundos. Acrescentamos a farinha, o fermento, o sal e o cacau. Misturamos na velocidade 4 por 1 minuto.
Colocamos a massa nas formas de papel frisado, deitamos por cima uma colherada (colher de café) pequena de nutella  e levamos ao forno por 15 minutos. A meio tempo abrimos o forno e colocamos uma noz em cada muffin pressionando ligeiramente para que as mesmas fiquem coladas. Levamos novamente ao forno. 
Quando estiverem prontos. Desenformamos e servimos mornos ou frios.

Tradicional
Começamos por pré-aquecer o forno a 180ºC e forramos formas de muffins com as caixinhas de papel frisado.
Batemos o açúcar com a manteiga. De seguida, juntamos os ovos batidos e o leite. Batemos mais um pouco até estar tudo bem misturado. Incorporamos a farinha, o fermento, o cacau e o sal na massa.
Colocamos a massa nas formas de papel frisado, deitamos por cima uma colherada (colher de café) pequena de nutella  e levamos ao forno por 15 minutos. A meio tempo abrimos o forno e colocamos uma noz em cada muffinspressionando ligeiramente para que as mesmas fiquem coladas. Levamos novamente ao forno. 
Quando estiverem prontos. Desenformamos e servimos mornos ou frios.


quarta-feira, 1 de março de 2017

Frango à Coelho ou para os mais sensíveis Frango em Vinho Tinto!

Olá, 😊
Esta receita já é uma receita antiga cá em casa. Como não sou fã de coelho era a forma que a minha mãe tinha de comermos algo com um tempero semelhante. Sei que foi uma receita inspirada numa teleculinária muito antiga. E também sei que sempre gostei muito deste prato. Não fosse eu uma "frangueira" de primeira apanha. 😇

É daqueles pratos reconfortantes que nos aconchegam o coração. Até porque traz boas recordações da juventude. É muito simples de fazer e acho que o curioso nome se deve à cor com que a carne fica quando cozinha no vinho tinto. Serve para quem não gosta de vinho tinto também porque o seu sabor não é forte. Acreditem!
Tenho muito gosto em partilhar aqui estas receitas mais antigas e simples, que fazem parte da minha vida. Aos poucos e a cada receita parece que estou a construir uma história, a minha história.

Cozinhar tem esse lado. Transporta-nos para momentos onde fomos felizes através dos sabores. Um dia feliz. Beijinhos e bons cozinhados! 😘
Frango à Coelho

O que faz falta para 4:
1 Frango aos pedaços e sem pele. 
Sal e Pimenta Preta
1 folha de Louro
4 dentes de Alho laminados
Sumo de 1 Limão pequeno 
150 ml de Vinho Tinto
1 fio de Azeite
1 Cebola picada
1 raminho de Coentros 
1 colher (sopa) de Amido de Milho (opcional)
3 colheres (sopa) de Água fria (opcional)
Como Fazemos:
De véspera temperamos o frango com um pouco de sal, pimenta, o sumo de limão, os alhos, a folha de louro e regamos com o vinho. Reservamos num recipiente fechado no frigorífico. 
No dia seguinte, num tacho largo, colocamos um fio de azeite e refogamos as cebolas no mesmo. Por cima, adicionamos o frango, sem a marinada. Deixamos cozinhar um pouco. Mexemos de vez em quando. De seguida, adicionamos a marinada de vinho tinto, tapamos, deixamos cozinhar em lume brando até o molho apurar e o frango ficar tenrinho. Se quisermos um molho mais cremoso e aveludado basta desfazer o amido de milho na água fria e envolver no frango até o molho engrossar um pouco. 
Servimos perfumado com coentros picados. Acompanhado a gosto. 


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Quando a segunda-feira pede doce...Bolo de Noz Fofo&Húmido. (em vídeo)

Olá, 😊
Qual é coisa qual é ela? Que tem casca rija e tem um sabor tão bom que até faz dela uma estrela? As nozes, claro! 
Não liguem, desde quinta-feira que estou, como se diz na minha casa, em baixo de forma. As minhas alergias atacaram-me fortemente e além de me sacrificarem a respiração tiraram-me o paladar. 😱 Os meus dias tem sido entre atchins, lenços e uma espécie de arrastamento para o que tenho que fazer, que não pode ficar para depois. Podia ser pior não é verdade? 

Até há um lado positivo nisto tudo. Que é a minha falta de apetite e de sabor. Ou seja, sem esforço algum emagreci 1 kg. Sei que não é um valor impressionante. Mas...A pessoa não tem paladar não faz sentido estar a consumir as calorias extra se não lhe sabem a nada. Não é? 😅
Entre recolher os lenços espalhados pela casa e assoar-me ao mesmo tempo ainda me pus a fazer um bolo. A tradição de um doce ao fim-de-semana não pode ficar esquecida. Resolvi fazer este bolo de nozes porque é daquelas coisas que nunca falham. Quem o prova diz que é inesquecível. Eu não provei este mas provei muitos outros destes que já fiz. A verdade é que hoje é segunda, e o bolo já não está entre nós. 😜

À semelhança do bolo de laranja que fizemos a semana que passou este é um bolo super fofo e consegue-se perceber pelo aspecto meio tosco dele. Mas vale cada migalha. É composto essencialmente por ovos e nozes, já que a percentagem de farinha é muito pequena. 
Reguei-o com doce de ovos (receita que ando a aperfeiçoar para partilhar aqui) e sei que combinou muito bem mas sem ele o bolo já é um estrela. 

Espero que gostem. Atchim. Beijinhos. Até breve e bons cozinhados. 😘
Bolo de Nozes Fofo e Húmido

O que faz falta:
6 Ovos
180 gr. de Açúcar
130 gr. de Nozes
30 gr. de Farinha com Fermento

Como Fazemos:

Começamos por preparar uma forma sem buraco e preferencialmente de 20 cm. Forramos a mesma com uma rodela de papel vegetal untando antes e depois de colocarmos a mesma (ver vídeo). Depois de untarmos toda a forma enfarinhamos também.
Separamos as claras das gemas e batemos as claras em castelo firme. Misturamos as gemas com o açúcar e batemos muito bem até obtermos uma gemada clara e fofa. Adicionamos as nozes picadas finamente (em pó) e a farinha. Mexemos até estar bem misturado. Envolvemos as claras em castelo na massa.
Vertemos a massa na forma e levamos ao forno pré-aquecido nos 180ºC por 30 a 40 minutos ou até o palito sair seco. Desenformamos e servimos a gosto.