terça-feira, 18 de setembro de 2018

Bolo de Bolacha com Caramelo e Amendoim Crocante

A receita desta semana é bem docinha. Uma versão de bolo de bolacha não tão tradicional como estamos habituados. Pintado com o sabor do molho de caramelo e salpicado com amêndoins crocantes mas com o sabor familiar do café.

É uma excelente sobremesa para um jantar mais composto. Pode ser preparada com antecêndencia, o que nos deixa livres para outras tarefas. 

Por aqui foi aprovado até pelos mais esquisitos. O contraste de texturas torna-o muito especial. E eu deste lado, espero que vocês também aprovem! 

Um grande beijinho, até breve e bons cozinhados!


Bolo de Bolacha com Caramelo e Amendoim Crocante
Adaptada de: Annie's Kitchen

O que faz falta:
Bolo
1 lata de Leite Condensado 
400 ml de Natas para bater
5 folhas de Gelatina 
300 gr. de Bolachas Maria
1 colher (chá) de Café Solúvel
Café forte com açúcar q.b.

Molho
150 gr. de Açúcar
1 colher (sopa) de Manteiga
125 ml de Natas

Amendoim Crocante
50 gr. de Amendoins sem casca
30 gr. de Açúcar
1 pitada de Sal


Como Fazemos:
Começamos por fazer o bolo. Demolhamos as gelatinas em água fria. Batemos as natas bem frescas num recipiente bem seco até estarem firmes. Adicionamos o leite condensado aos poucos batendo sempre. Adicionamos o café solúvel e continuamos a bater até que se desfaça completamente. 

De seguida, escorremos as folhas de gelatina e levamos ao microondas por uns segundos até que derretam completamente. Envolvemos no creme. 
Forramos o fundo de uma forma de fundo amovível de 20 cm aproximadamente com papel vegetal. Untamos com manteiga o fundo da forma para ser mais fácil de fixar o papel vegetal. 

Montamos o bolo, colocando uma camada de creme no fundo.  De seguida, molhamos ligeiramente as bolachas no café e colocamos por cima do creme. Cobrimos novamente com creme, espalhamos mais bolachas por cima. E assim sucessivamente até que acabem os ingredientes. A última camada deve ser de creme. 

Levamos ao frio de um dia para o outro ou pelo menos umas 8 horas.

Para a cobertura, colocamos o açúcar numa panela e levamos ao lume brando até obtermos uma cor de caramelo. Vamos mexendo de vez em quando. Retiramos do lume e juntamos a manteiga não parando de bater para ficar bem uniforme. Adicionamos as natas em fio e envolvemos com as varas de arames. Deixamos arrefecer.

Trituramos ligeiramente os amendoins para fazer o crocante. Colocamos o açúcar numa frigideira e deixamos que forme caramelo. Depois, retiramos do lume, adicionamos o sal e os amendoins picados. Envolvemos bem. Deitamos esta mistura sobre um papel vegetal e deixamos arrefecer completamente. Embrulhamos o crocante num pano e batemos com o rolo da massa até obtermos pedaços de crocante de amendoim. 

Depois do bolo estar firme e fresco. Passamos a faca à volta da forma, desenformamos e espalhamos os amendoins crocantes nas laterais. Regamos com o molho de caramelo. 
Armazenamos no frigorifico até servir. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Empada de Frango ou o que lhe quisermos chamar!

Há algum tempo que não me sentava para escrever por aqui. "Alimentar" um blog nem sempre é fácil e não sei se vocês por aí já tiveram essa sensação mas parece que já tinha feito de tudo. O que é impossível! Porque existem infinitas receitas e temas. Mas...passando à frente! Hoje há receita. De uma empada de frango que se revelou uma maravilha. Ainda mais no dia seguinte. Dá para acreditar?

As empadas sempre foram dos meus salgados favoritos mas confesso que me tenho desiludido empada após empada que tenho provado. Umas são muito secas. Outras não têm grande sabor e depois ainda há aquelas que massa não está bem cozida. Não fiquem a pensar que sou esquisita. Mas quem nunca se desiludiu com algo que tinha um aspecto excelente e depois desapontou à primeira dentada? Não me julguem ok?

Voltando à empada. Como fazer várias ia dar um trabalhão e gastar tempo que eu não tinha, resolvi fazer uma grande. É bastante versátil. Acompanhada com uma saladinha faz uma refeição. Dá para um lanche ou para levar para a praia ou num passeio. Para entrada de um jantar ou até para compor a nossa mesa num lanche ajantarado. E o mais importante que tudo...é que não desilude! 

Vamos à receita? Se tiverem um robot de cozinha usem e abusem dele para fazer a massa ou desfiar o frango. De qualquer forma, o processo é simples seja qual for o método que usem.

Espero que gostem. Um grande beijinho. Bons Cozinhados.

Empada ou Tarte de Frango 

O que faz falta:

Para a massa:
300 gr. de Farinha 
30 gr. de Manteiga
40 ml de Azeite
100 ml de Água
1 Ovo
Sal q.b.

Recheio:
1 fio de Azeite
1 Cebola picada
2 dentes de Alho
1 folha de Louro
2 colheres (sopa) de Vinho Branco
1 peito de Frango grande
1/4 de Chouriço de Carne ou 1 pedaço de Bacon
1 chávena (chá) de Milho
5 colheres (sopa) Polpa de Tomate
50 ml de Natas
1 ramo de Salsa fresca
Sal e pimenta q.b.
1 colher (sopa) de Pão Ralado
1 Gema de Ovo


Como fazemos:

Começamos por fazer a massa. No copo do robot colocamos a farinha, o azeite, a manteiga e o azeite. Misturamos por 30 segundos na velocidade 4. Adicionamos o ovo e a água e processamos por 45 segundos na velocidade 4 até obtermos uma massa homogénea.
Podemos fazer esta massa num processador ou na batedeira com as varas de massa. Para isso basta juntar os ingredientes e bater até a massa formar uma bola. 

Com a massa já pronta, formamos uma bolinha e levamos ao frigorifico para repousar por 15 a 20 minutos. 

O próximo passo é preparar o recheio. Para isso, cozemos o peito de frango em água temperada com sal e pimenta junto com o pedaço de chouriço ou bacon. 
Assim que o peito de frango esteja cozido, retiramos, deixamos arrefecer um pouco e desfiamos. Cortamos o chouriço ou o bacon em pedaços.

Refogamos a cebola e os alhos picados com o azeite. Juntamos o louro e vinho. De seguida, o frango, o chouriço ou bacon e a polpa de tomate. Cozinhamos por uns minutos. Adicionamos o milho, a salsa picada e temperamos com sal e pimenta se necessário. Retiramos o louro e envolvemos as natas. Deixamos arrefecer.

Para montar a empada, retiramos a massa do frio e dividimos em duas partes. Esticamos uma das partes entre duas folhas de papel vegetal. Untamos uma tarteira com azeite e forramos a mesma com a massa. Espalhamos o recheio já frio. 

Esticamos a outra parte da massa e cortamos em tiras com a espessura de 1 dedo. Cobrimos a tarte com as tiras de massa entre si. Cortamos o excesso de massa e pincelamos com uma gema de ovo. 
Também podemos cobrir com um círculo de massa fazendo um corte em forma de cruz ao meio para sair o vapor durante a cozedura da tarte. 

Levamos ao forno a 180ºC por 30 minutos. Retiramos do forno e servimos morna ou fria. 



quinta-feira, 19 de julho de 2018

Pastéis de Bacalhau...a nossa receita (com vídeo)!

Mais uma semana e mais uma receita. Desta vez com vídeo a acompanhar. Primeiro vídeo na cozinha depois de ser melhorada. Tinha que ser uma receita bem Portuguesa. Porque quem já nos conhece sabe que não resistimos a um belo petisco. Já é uma receita repetida aqui no blog. Já escrevemos a forma que fazemos mas desta vez quisemos aprofundar. Partilhar a nossa verdadeira receita. Aquela que nunca nos falha com alguns truques e dicas.

Os pastéis de bacalhau são um petisco bem típico por aqui. Desde pequena que me lembro que qualquer festa tinha pastéis. Por isso, arrisco a dizer que o pastel de bacalhau é o salgadinho da família. Não há rissol nem croquete que o vença. 😂

Também já partilhei por aqui a minha pequena fobia de fritar coisas. Isso ficou no passado. Muitos pastéis depois e alguns sonhos de cenoura, foi tudo ultrapassado. Ah, claro! Alguns dedinhos escaldados também. 

Espero que gostem da nossa receita. E se fizerem não se esqueçam de mandar para mim? 😀
Um grande beijinho. Até breve e bons cozinhados!
Pastéis de Bacalhau

O que faz falta para 24 aprox.
350 gr. de Batatas
400 gr. de Bacalhau demolhado (pode ser congelado)
1 Cebola média picada
2 dentes de Alho
1 fio generoso de Azeite
1 Ovo M
Sal e Pimenta q.b.
1 Raminho de Salsa

Como Fazemos:
Carrega no play para ver todo o processo de confecção dos pastéis de bacalhau.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Base de Pizza de Espelta Integral…

Estamos de regresso à nossa cozinha. Finalmente! Estes últimos tempos foram conturbados. Fizemos obras em casa. Uma grande aventura. Mas, por fim, temos tudo operacional.

Quando vos digo que foi uma grande aventura é porque foi mesmo. Fazer obras num T2 e continuar a viver no mesmo T2 é deverás uma ginástica complicada. Ainda mais quando se tem um gato Fred, que mesmo com tanta confusão se portou à altura.

Quando viemos para esta casa sempre pensamos em melhorar algumas coisas. Mas como somos pessoas com a cabeça nas nuvens mas os pés assentes no chão, esperamos para criarmos as melhores condições para o fazer. Confesso, que numa certa parte da obra já estava um pouco arrependida. É muito pó, imprevistos e atrasos. Mas agora, no fim de tudo, estamos muito contentes por termos conseguido. A maior parte das coisas foi feita por nós com a ajuda dos nossos pais.

Mais para a frente posso escrever aqui sobre o processo antes, durante e depois das obras porque podemos ter algumas dicas úteis para quem pense fazer o mesmo.

Na verdade, ainda me estou a ambientar um pouco a esta “nova casa”. Mas está tudo a voltar aos eixos. Aqui no blog sempre quis escrever quando estava bem. Bem comigo, com boa energia e ainda me estava a reestabelecer. Precisava de descansar mas estava com muitas saudades. Durante as obras, como devem calcular, não tive muito cuidado com a alimentação. E agora tenho que reequilibrar as coisas.

Por isso, a receita de hoje é uma versão um pouco mais saudável da base de pizza. Acho que já vos tinha falado por aqui das minhas aventuras com a farinha de espelta.  Gosto imenso desta farinha. É rica em fibra, é um hidrato de carbono de absorção lenta o que faz com que sacie mais e por mais tempo. Além disso tem um teor de proteína superior às farinhas normais. É muito fácil de trabalhar e fácil de encontrar em qualquer supermercado Aldi.

Esta receita pode ser feita no Robot de forma simples mas também se faz à mão com o mesmo resultado. Por isso aqui podem encontrar as duas versões.
Espero que gostem!
Um grande beijinho. Bons Cozinhados!
Base de Pizza de Espelta Integral

O que faz falta para 1 pizza:
1 cup de Água morna (250 ml)
1 pacote de Fermento Biológico Seco (11 gr)
2 colh. (sopa) de Açúcar mascavado/cana/coco
2 e 1/2 cup e Farinha de Espelta integral (250 gr)
1 colh. (sopa) de Azeite virgem extra
1 colh. (chá) de Sal marinho
Farinha de Milho q.b.
Como Fazemos:

Robot de Cozinha (yämmi I)
No copo, juntar o fermento com a água morna e o açúcar na velocidade 1 por 2 minutos a 37ºC. Deixar descansar por 10 minutos. Adicionar a farinha, o azeite e o sal. Amassar por 20 segundos na velocidade 5 até formar uma massa.

De seguida, voltar a amassar por 1 minuto na velocidade 4. Para finalizar, programamos por 1 minuto na velocidade 3. Se a massa estiver muito pegajosa, colocamos mais umas colheres de farinha e envolvemos na velocidade 3 por 45 segundos.

Colocamos a massa numa bancada enfarinhada com farinha de milho, amassarmos mais uns minutos e formamos uma bola. Deixamos levedar por 45 minutos a 1 hora.

Findo esse tempo, enfarinhamos uma folha de papel vegetal com farinha de milho e abrimos a massa. Picamos a mesma e recheamos a gosto.
Levamos ao forno a 220ºC por 15 a 20 minutos ou até dourar. Deixamos descansar por 5 minutos e partimos.
Tradicional
Num recipiente, juntamos a água morna, o fermento e o açúcar. Mexemos para envolver. Deixamos descansar por 10 a 15 minutos ou até obtermos uma mistura espumosa.

À parte, num recipiente maior, colocamos a farinha misturada com o sal e abrimos um buraco no meio. Nesse mesmo buraco, vertemos a mistura de fermento e água. Por cima, juntamos também o azeite. Com uma batedeira com as varas de massa ou mesmo com as mãos misturamos tudo até obtermos uma massa. Se a mesma estiver muito pegajosa juntamos mais umas colheradas de farinha e batemos novamente.

Colocamos a massa numa bancada enfarinhada com farinha de milho, amassamos mais uns minutos e formamos uma bola. Deixamos levedar por 45 minutos a 1 hora.

Findo esse tempo, enfarinhamos uma folha de papel vegetal com farinha de milho e abrimos a massa. Picamos a mesma e recheamos a gosto.
Levamos ao forno a 220ºC por 15 a 20 minutos ou até dourar. Deixamos descansar por 5 minutos e partimos.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Bolo Mármore de Laranja e Chocolate...um grande clássico (em vídeo)!

Olá amigos cozinheiros,
Hoje venho partilhar convosco um clássico da doçaria portuguesa. O bolo mármore! Quem aí por casa não se lembra de ser pequenino e comer um belo bolo mármore? Por aqui, adoramos mas por vezes fica esquecido no caderno de receitas.

Esta é uma receita que sabe sempre bem e reconforta a alma E é também a última receita que tenho guardada para partilhar convosco até acabar as obras cá de casa. Por isso, vamos comer devagarinho e saborear com calma. 😊

Deixo também um vídeo da forma como fiz este bolo. Já conhecem o nosso canal de Youtube? Se não, visitem aqui.
Espero que gostem. Bons Cozinhados e Até breve! 😚
Bolo Mármore de Laranja e Chocolate

O que faz falta:
250 gr. de Manteiga
200 gr. de Açúcar
1 Laranja (raspa e sumo)
5 Ovos
300 gr. de Farinha
1 colher (chá) de Fermento em pó
2 colheres (sopa) de Chocolate em pó

Como Fazemos:

Ver vídeo para todas as indicações de como fazer este bolo.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Bolachas de Chocolate...as fiéis companheiras!

Olá amigos cozinheiros, 

Chocolate! O fiel amigo dos momentos bons e menos bons. Por aqui, estamos a passar por dias conturbados. Aqui há uns tempos tivemos uns problemas no prédio que fez danos em nossa casa. Chegou a hora de arranjar e resolvemos melhorar mais umas coisas por aqui. Uma aventura daquelas. As coisas não têm corrido como o previsto e como tal temos a casa de “pantanas”. E nesses momentos de “nervos em franja” o que nos resta? Bolachas de Chocolate, claro! 

Estas bolachas são daquelas macias e húmidas. Estão a ver? Não dá para resistir! Esta fornada foi feita especialmente para o dia da mãe. E fizeram as nossas delícias, da mãe e do pai! Porque a culinária é isso mesmo…feita de momentos de partilha!

Espero que gostem! Espero voltar em breve a todo o gás. Até lá tenho umas quantas receitinhas para colocar ainda. Um grande beijinho. Bons Cozinhados!

Bolachas de Chocolate

O que faz falta para 18:

130 gr. de Manteiga em ponto pomada
120 gr. de Açúcar mascavado
40 gr. de Açúcar branco
1 Ovo M
1 colher chá de Essência de Baunilha
300 gr. de Farinha com fermento
70 gr. de Chocolate em Pó
Meia colher chá de Bicarbonato de Sódio
1 pitada de Sal
Meia chávena de Pepitas de Chocolate 
Meia chávena de Pintarolas/M&M’s (opcional)
Como Fazemos:

Começamos por bater a manteiga e os açúcares até obtermos uma mistura cremosa. Juntamos o ovo e a baunilha. Misturamos. 

Incorporamos a farinha com o fermento, o chocolate em pó, o bicarbonato e o sal fino. Envolvemos as pepitas de chocolate. Deixamos descansar por 2 horas no frigorifico. 

Depois desse tempo, humedecemos as mãos. Moldamos bolinhas e colocamos num tabuleiro forrado com papel vegetal com espaço entre si. Decoramos com as pintarolas/m&m’s. 

Levamos ao forno pré-aquecido a 180ºC por 12 a 14 minutos. Deixamos arrefecer 5 minutos no tabuleiro. E transferimos para uma grade para que arrefeçam completamente. 

Guardamos num recipiente fechado por 3 semanas no máximo. 

Notas: Se a massa estiver muito pegajosa e impossível de moldar podemos adicionar mais um pouco de farinha. No entanto, não devemos colocar muita para que as bolachas não percam a humidade. O açúcar mascavado é imprescindível na receita. Não devemos cozer demasiado as bolachas, é normal que estejam moles quando saírem do forno mas depois firmam.



terça-feira, 8 de maio de 2018

Manteiga Caseira de Alho e Salsa….feita de raiz!

Olá amigos cozinheiros,

Desde pequenina que sou uma “curiosa gastronómica”. Sempre tive muito interesse em saber como se faziam as coisas mais simples. Como a manteiga, por exemplo. Pensava eu que era um bicho de sete cabeças com mil e um processos complicados. Quando afinal não é nada assim.

E o que sempre me impressionou neste mundo culinário foi a versatilidade dos alimentos. Com um alimento podemos fazer várias coisas.

A manteiga é feita com natas. Natas batidas de forma enérgica. Depois de passar o ponto de chantili eis que surge a manteiga. E aí é que se dá toda a magia. As natas separam-se de um soro e descartando esse soro conseguimos uma manteiga muito saborosa.  E depois é só puxar pela imaginação. Podemos comer simples ou aromatizar a gosto. A minha preferida é a mítica com alho e ervas.  E foi essa que fiz desta vez.

Esta é uma receita básica que qualquer um é capaz de fazer, no entanto tem alguns truques importantes. Venham daí, comer uma torradinha com manteiga.
Um beijinho. Até breve e Bons Cozinhados!

Manteiga de Alho e Salsa

O que faz falta:

400 ml de Natas com 35% de gordura (usei estas)
1 colher de café mal cheia de Sal fino
1 dente de Alho
1 ramo de Salsa fresca bem seca

Como Fazemos:

Robot de Cozinha (Yämmi 1)
Antes de começarmos a fazer a manteiga colocamos as natas no congelador por uns 10 minutos para que fiquem bem frias. É essencial que estejam bem frias. De seguida, no copo do robot, também frio e bem seco, colocamos as natas e o sal fino. 

Montamos o acessório misturador e batemos na velocidade 4 por 6 minutos ou até as natas estarem amarelas e separadas do soro. O barulho da máquina muda o que torna percetível que a manteiga está pronta.

Descartamos o soro com a ajuda de um coador e lavamos a manteiga com água bem fria diretamente no copo. Este processo faz com que a manteiga dure mais.
De seguida, colocamos a manteiga num coador e apertamos bem com uma espátula para escorrer bem a água.

Secamos bem o copo e voltamos a colocar a manteiga no mesmo. Juntamos o alho em pedaços e a salsa. Trituramos 25 segundos na velocidade 5 e 6 consecutivamente.

Retiramos a manteiga do copo, servimos numa taça ou formamos um rolinho com a  ajuda de uma película aderente. Conservamos no frigorífico por 2 semanas num recipiente fechado.

Tradicional
Antes de começarmos a fazer a manteiga colocamos as natas no congelador por uns 10 minutos para que fiquem bem frias. É essencial que estejam bem frias.

Batemos as natas e o sal fino com a batedeira até que as natas passem o ponto chantili, fiquem amarelas e se separem do soro. Escorremos o soro.  Lavamos a manteiga com água fria diretamente no recipiente. Este processo faz com que a manteiga dure mais.

De seguida, colocamos a manteiga num coador e apertamos bem com uma espátula para escorrer bem a água.

Juntamos à manteiga o alho bem picadinho assim com a salsa e envolvemos bem. Podemos colocar a manteiga num processador e processar com o alho e a salsa.
Retiramos a manteiga do copo, servimos numa taça ou formamos um rolinho com a  ajuda de uma película aderente. Conservamos no frigorífico por 2 semanas num recipiente fechado.


quinta-feira, 19 de abril de 2018

Bolo de Chocolate e de Mousse de Café...para a Revista Portugal Sabores e Tradições!

Olá amigos cozinheiros, 
Há uns tempos fui desafiada pela revista Portugal Sabores e Tradições a criar uma receita para a sua próxima edição. Em cada edição é escolhido um ingrediente que será o tema da receita. Pois bem, a mim calhou-me o café. Logo eu, que nem sou grande apreciadora. Mas o Sarinho adora e foi assim que me surgiu a inspiração para este bolo. Tentar criar uma sobremesa que tivesse o gosto dos dois. Porque ele também merece. Vocês nem sabem a paciência que é preciso ter para esperar que se tirem as fotografias, ver se ficaram boas e só depois é que se come. Não é para todos. E nisso estou muito agradecida. Não há impaciência que lhe bata à porta. Que continue assim... 😅

Voltando à receita, achei que o chocolate (que ambos amamos, mas eu mais) e o café seriam um casamento perfeito. O resultado final foi muito apreciado. Gostamos imenso. O contraste do bolo de chocolate e da mousse de café que se desfaz na boca é qualquer coisa de mágico. Verdade! 
Como sou uma pessoa abençoada com  boas pessoas ao meu redor, tive quem experimentasse esta receita do outro lado do oceano, no Brasil, e o feedback foi para lá de positivo. 

Achei que esta seria a altura perfeita de partilhar a receita aqui. Porque a Primavera está timidamente a chegar. Já se ouvem os passarinhos a cantar com entusiasmo pelas manhãs. Fantástico! E estas receitas mais frescas já começam a apetecer. 

Que dizem? 'Bora comer uma fatia? Um beijinho, até breve e bons cozinhados! 

P.S. De notar que esta receita está escrita de uma forma diferente. Porque eu também sei ser séria! Como era para a revista não quis que fosse tão informal. 😇😅😎



Bolo de Chocolate e de Mousse de Café

O que faz falta:

Para o Bolo:
100 gr. de Manteiga
150 gr. de Chocolate para culinária
3 Ovos
110 gr. de Açúcar
15 gr. de Cacau Magro em pó
1 pitada de Sal Fino
Manteiga e Papel Vegetal para preparar a forma

Para a Mousse:
2 Gemas de Ovo
100 gr. de Açúcar
10 gr. de Amido de Milho
150 ml de Leite
1 colher chá de Essência de Baunilha
1 e 1/2 colher sopa de Café Solúvel
2 Folhas de Gelatina
Água fria q.b.
200 ml de Natas para Bater
1 colher de sopa de Cacau Magro em Pó
Como Fazer:
Comece por fazer o bolo. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre uma forma de 20 cm e de aro amovível com papel vegetal apenas no fundo. Unte toda a forma com manteiga. De seguida, derreta o chocolate em pedaços com a manteiga, no microondas por 2 minutos, retirando a cada minuto para mexer. Mexa bem, até que o chocolate e a manteiga formem um creme. Deixe arrefecer um pouco.

Separe as gemas das claras. Adicione as gemas, o cacau e o sal fino, ao creme de chocolate. Bata bem. Num recipiente à parte, bata as claras em castelo firme e ao mesmo tempo vá adicionando o açúcar. Incorpore as claras com açúcar, no creme de chocolate delicamente. Verta este preparado na forma e leve ao forno 25 a 30 minutos. Deixe arrefecer completamente na forma.

O bolo vai abater, é normal. Se necessário apare algumas irregularidades do bolo com uma faca afiada. Quando o bolo estiver frio, faça a mousse. Bata as gemas com o açúcar até obter um creme fofo. Ao mesmo tempo aqueça o leite com o café até o último dissolver por completo. Adicione ao creme de gemas o amido de milho e misture bem. Junte o leite com café a esse creme.

Aromatize com a baunilha. Leve ao lume brando, mexendo sempre até engrossar. Retire do lume e deixe arrefecer um pouco. Demolhe as folhas de gelatina em água fria por 5 a 10 minutos. Escorra-as bem e leve ao microondas com uma colher de sopa de água fria. Programe 1 minuto na potência máxima. Mexa para dissolver bem a gelatina e envolva a mesma no creme de café que fez
anteriormente.

Bata as natas até as mesmas estarem firmes. Para facilitar o processo bata num recipiente bem seco e coloque as natas no congelador 15 minutos antes de bater. Assim que as natas estiverem firmes envolva no creme de café. Verta sobre o bolo de chocolate já frio com os aros montados. Alise a superfífcie. Tape com
película aderente e leve ao frigorífico por 6 a 8 horas.

Desenforme o bolo, bem fresco, passando uma faca à volta da forma. Polvilhe com o cacau em pó. Sirva frio e aproveite.  



terça-feira, 17 de abril de 2018

Prato Principal Completo...Frango Dourado&Batatas Rústicas!

Olá amigos cozinheiros,
Hoje trago-vos uma Frango Dourado com umas Batatas Rústicas. É uma refeição completa e bastante prática. Visto que é tudo feito no forno e deixa-nos tempo livre para tratarmos de outras coisas. Como da sobremesa, por exemplo. Ideal para um almoço em família ou mesmo para uma jantarada com amigos. Não há quem não goste de frango. Ou há?

Pontos importantes acerca desta receita:
→ É importante secar bem o frango. 
→ O alecrim dá um toque muito especial à receita. Conseguem encontrar com facilidade no Lidl, por exemplo. 
→ É essencial deixar o frango descansar antes de o cortar.
→ Escolher dois tabuleiros que caibam lado a lado no forno para fazer as batatas e frango ao mesmo tempo.
→ Se não tiverem fio para atar as pernas do frango não há problema.
→ Esta receita é infalível e não tem truques. Podem fazer sem medos. Além disso é económica.

Frango é sem dúvida a carne que mais comemos cá em casa, por isso, esta é uma receita que fazemos muitas vezes. O frango fica suculento e tenrinho. A carne desfia facilmente. Quando sobra aproveitamos para fazer pasta de frango ou uma bela sandes com alface e maionese. Como vêm é uma receita muito versátil. 

Espero que gostem! Um beijinho. Bons Cozinhados e até breve. 😚
Frango Dourado com Batatas Rústicas

O que faz falta para 4:
Para o Frango
1,500 kg de Frango inteiro (adaptar tamanho à quantidade de pessoas)
4 colheres (sopa) de Manteiga
4 dentes de Alho
1 Limão
2 ramos de Alecrim fresco
Sal e Pimenta preta q.b.
Para as Batatas
12 Batatas médias
Sal e Pimeta q.b.
1 colher (chá) de Alho em pó
1 colher (chá) bem cheia de Paprika
1 ramo de Alecrim fresco
1 colher (chá) de Azeite
Como Fazemos:
Começamos por pré-aquecer o forno a 220ºC. Arranjamos o frango, tirando o excesso de gordura e de pele. De seguida, secamos bem o frango com um pano ou papel absorvente. É essencial que o frango esteja bem seco para que a pele fique estaladiça. Transferimos o frango para um tabuleiro de ir ao forno. Na cavidade do frango colocamos o limão cortado ao meio e o alecrim. Atamos as pernas com fio de cozinha. 

Colocamos a manteiga num tachinho e ralamos os alhos por cima. Levamos a manteiga a derreter com os alhos. Pincelamos todo o frago com a mistura de manteiga e alho. Temperamos com sal e pimenta. Levamos o tabuleiro de frango ao forno no centro do mesmo por 1 hora e 15 minutos. Regamos o frango com o molho a cada 20 minutos. Passados 45 minutos voltamos o frango para dourar uniformemente. Quando o frango estiver dourado dos dois lados retiramos do forno e deixamos descansar por 15 minutos antes de cortar para que o frango não perca os seus sucos.

Entretanto fazemos as batatas. Lavamos as mesmas e descascamos. Cortamos cada batata em oitavos em forma de gomos. Num recipiente, colocamos as batatas e todos os restantes temperos (sal, pimenta, alho em pó, paprika, folhinhas de alecrim e o azeite). Envolvemos bem com as mãos. Colocamos as batatas num tabuleiro que possa ir ao forno. Levamos ao forno juntamente com o frango por 30 minutos ou até dourarem. Mexemos de vez em quando para dourarem por igual. 

Retiramos o limão e o alecrim do frango. Cortamos o mesmo em pedaços. Servimos com o molho que restou à parte. E com as batatas rústicas com maionese. 

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Creme de Abóbora e Batata Doce...e estar offline!

Ultimamente tenho tido a necessidade de estar mais tempo offline. Não sei se isso também vos acontece. Às vezes tenho a sensação que estamos 24 horas ligados o que não é necessariamente bom. Faz com que não nos consigamos desligar totalmente. Temos sempre o e-mail à mão. As notícias são vistas em tempo real. Há sempre qualquer coisa por responder. A meu ver, isso contribuí para o ritmo frenético com que vivemos hoje em dia. 

Então para descansar um pouco, porque infelizmente acabamos por absorver muita coisa negativa daí, tenho estado mais ausente das redes sociais e da internet no geral. E é impressionante o tempo que "queimamos" a deslizar o dedo no nosso ecrãzinho brilhante de telemóvel. De repente, ganhamos tempo para ler aquele livro parado na estante, vemos aquele filme que temos na lista há imenso tempo e a nossa mente torna-se mais leve.

Para apreciarmos essa pausa merecida, trago uma sopinha quentinha e simples de fazer. Incrivelmente cremosa e reconfortante.

Espero que gostem. Um beijinho e bons cozinhados. 😚
Creme de Abóbora e Batata Doce

O que faz falta para 4:
1 Cebola 
2 dentes de Alho
1 fio de Azeite
500 gr de Abóbora em cubos
1 Cenoura 
2 Batatas Doces pequenas
700 ml de Água
Sal e Pimenta q.b.
1 ramo de Coentros frescos
Como Fazemos:
Robot de Cozinha
No copo do robot, colocamos a cebola e os alhos. Picamos na velocidade 5 por 5 segundos. Juntamos o fio de azeite e refogamos por 4 minutos a 100ºC. 
De seguida, adicionamos a abóbora aos cubos, a cenoura em pedaços e as batatas doces sem casca e igualmente em pedaços. Regamos com a água. Temperamos com sal e pimenta. Cozinhamos na velocidade 1 a 100ºC por 30 minutos. 
Trituramos por 1 minuto nas velocidades 5, 6, 7, 8 e 9 progressivamente. Perfumamos com os coentros picados. Se necessário retificamos o sal e a água dependendo da consistência desejada. 

Tradicional
Picamos a cebola e os alhos. Numa panela, refogamos  a cebola e os alhos com o azeite. 
Juntamos a abóbra aos cubos, a cenoura em pedaços e assim como as batatas doces sem casca. Regamos com a água. Temperamos com sal e pimenta. Cozinhamos por 30 minutos em lume médio. Verificamos se os legumes estão bem cozidos e trituramos até obtermos um creme. 
Perfumamos com os coentros picados. Se necessário retificamos o sal e a água dependendo da consistência desejada.