sábado, 14 de março de 2020

Pão de Mistura Fácil para nos reconfortar e uma reflexão!

Não costumo falar de assuntos da actualidade. Mas face ao que vivemos em Portugal decidi pronunciar-me. Estamos perante uma ameaça real e se a desvalorizam fazem mal. Está na hora de sermos responsáveis e de deixarmos de lado pensamentos do "só acontece aos outros" ou "se morrer disto não morro de outra coisa". Nós Portugueses somos, na sua maioria, um povo grandioso que se une nas horas mais negras. Basta relembrar algumas das crises que passamos anteriormente.

O vírus que tanto se fala ultrapassa idades, políticas, clubes, classes sociais e religiões. Todos nós temos pessoas queridas no grupo de risco. E temos também pessoas reticentes em cumprirem o que nos é aconselhado. Cabe-nos alertar e motivar essas pessoas. Está na hora de nos preocuparmos, além de connosco próprios, com o próximo. Bem sei, que está sol e a Primavera está aí mas se continuarmos a deixar andar todos os dias os números vão aumentar. Informem-se, vejam o que aconteceu ou está a acontecer à nossa volta. Evitem os comportamentos de risco e assim todos nós iremos aproveitar o sol e o Verão bem próximo. Não é tempo para rebeldias. Vamos esquecer onde começou, porque começou e pensar no agora.

Andamos todo o ano a apregoar que não temos tempo para fazer isto e aquilo. Ora bem, aproveitemos agora. Leiam, vejam aquela série, em caso de loucura limpem a casa ou cozinhem. Cozinhem com a vossa família, com os vossos filhos ou sozinhos. Ocupem a mente. Sejam criativos. E acima de tudo mantenhamos a calma. Aproveitemos para reflectir sobre a simplicidade e o minimalismo. Vamos voltar a desenterrar hábitos antigos e a renovar os novos. Pensem mais além. Hoje, mais que tudo, respeitem o próximo. Aquele que não tem outro remédio sem ser sair de casa com o coração nas mãos e a responsabilidade nos ombros.

No entanto, devemos evitar o alarmismo e o excesso de informação. Informem-se em sítios confiáveis e não naqueles que querem semear o caos para retirarem proveito disso. Devemos apenas ter consciência do que está por vir e se continuarmos todos com determinados comportamentos não vai ser bonito. Mantenhamos a cabeça assente nos ombros e o pensamento positivo. Lembrando que os Portugueses já conseguiram grandes feitos advindos da sua união e espírito de entreajuda. 

Vamos lá, não custa nada. Protejam-se porque isso vai proteger os vossos pais, avós, filhos, primos, tios e amigos. Deixo-vos com um sentimento de esperança, de positivismo e com uma receita de pão fácil para fazerem nos tempos livres. Pois, amassar um pão faz libertar muita energia. A mais pequena moradora cá de casa adorou meter a mão na massa. O  pão Português é muito famoso. E o que há de mais reconfortante que um pão morninho? Vai aquecer o coração de qualquer um.

Um beijinho a todos. Até breve!


Pão de Mistura Fácil

O que faz falta:
300 ml de Àgua
2 colheres de chá de Sal
1 colher de sopa de Azeite
1 saqueta de Fermento seco para pão
300 gr. de Farinha T65
200 gr. de Farinha Integral 
(Podem usar a mistura de farinhas que tenham em casa. Apenas trigo, de centeio, integral. Sendo a maior parte a de trigo).

Como fazemos: 

Robot
Colocamos a água e o sal no copo. Programamos a 37ºC, na velocidade 2 por 2 minutos. De seguida, juntamos as farinhas, o azeite e o fermento. Ligamos por 10 segundos na velocidade 6. Para finalizar amassamos na velocidade 4/espiga por 2 minutos.
Transferimos para uma taça untada com azeite, tapamos e deixamos levedar por 1 hora e meia ou até dobrar de volume, num sítio abrigado.  
Enfarinhamos a bancada e as mãos e damos forma ao pão. Damos uns golpes no mesmo, reservamos mais 15 minutos num tabuleiro forrado com papel vegetal e polvilhado com farinha.
Aquecemos o forno a 200ºC e colocamos no fundo um tabuleiro com água. O vapor vai ajudar a criar uma crosta mais estaladiça. Cozemos o pão por 35 a 40 minutos. 

Tradicional
Num recipiente ou numa bancada colocamos a farinha e abrimos uma cavidade ao meio. Juntamos a água morna, o sal e o azeite. Misturamos ligeiramente com as mãos ou com uma batedeira com gancho de massas pesadas. Adicionamos o fermento e amassamos bem, novamente com a batedeira ou com as mãos até obtermos uma massa bem ligada que descole com facilidade das mãos. 
Transferimos para uma taça untada com azeite, tapamos e deixamos levedar por 1 hora e meia ou até dobrar de volume, num sítio abrigado.  
Enfarinhamos a bancada e as mãos e damos forma ao pão. Damos uns golpes no mesmo, reservamos mais 15 minutos num tabuleiro forrado com papel vegetal e polvilhado com farinha.
Aquecemos o forno a 200ºC e colocamos no fundo um tabuleiro com água. O vapor vai ajudar a criar uma crosta mais estaladiça. Cozemos o pão por 35 a 40 minutos. 




2 comentários:

  1. ficou um pao mt bonito e fofinho tudo de bom coragem bjs nos aqui tb estamos com o mesmo

    ResponderExcluir
  2. A receita da minha mãe é parecida, só não leva o azeite. Ficou um pão bastante apetitoso :)
    Desde dia 14 que não saio de casa, apenas dei um passeio no bairro com os miúdos no dia 22. Não me faz confusão nenhuma passar os dias em casa, tenho sempre o que fazer e gosto imenso de cozinhar para os meus filhos e gosto imenso da minha casa. Só tenho pena de não conseguir fazer o que dizes, ler um livro, fazer as coisas que nunca temos tempo, porque continuo a não ter tempo... estou em teletrabalho, com 2 filhos com menos de 12 anos, com um monte de tpc's e com a lida normal de casa para fazer. É cansativo e tenho imensa pena de não ter sequer uma varanda para poder sentar ao sol, mas não me incomoda nada estar em casa, nem sinto necessidade de sair, do consumismo, é preciso é estarmos em segurança e evitar que o vírus se espalhe cada vez mais. É assustador como os números sobem dia para dia... mas sabes, vai ficar tudo bem. Confio nisso. Beijinhos

    ResponderExcluir